<i>"The Name of Our Country is América" - Simon Bolivar</i> The Narco News Bulletin<br><small>Reporting on the War on Drugs and Democracy from Latin America
 English | Español | Português | Italiano | Français | Deutsch | Nederlands November 23, 2017 | Issue #32


Making Cable News
Obsolete Since 2010


Troca Cores: blackwhiteabout colors

Imprima

Busca no Narco News

Narco News Issue #31
Complete Archives

Narco News is supported by The Fund for Authentic Journalism


Follow Narco_News on Twitter

Sign up for free email alerts list: English

Lista de alertas gratis:
Español


Contact:

Publisher:
Al Giordano


Opening Statement, April 18, 2000
¡Bienvenidos en Español!
Bem Vindos em Português!

Editorial Policy and Disclosures

Narco News is supported by:
The Fund for Authentic Journalism

Site Design: Dan Feder

All contents, unless otherwise noted, © 2000-2011 Al Giordano

The trademarks "Narco News," "The Narco News Bulletin," "School of Authentic Journalism," "Narco News TV" and NNTV © 2000-2011 Al Giordano

XML RSS 1.0

Conheça o Corpo Docente da Escola de Jornalismo Autêntico 2004

35 dos 46 Professores Convidados confirmaram ida à Bolívia


Por Al Giordano
Editor

30 de março 2004

29 de março de 2004, de algum lugar na Selva Lacandona, com o lap top com conexão wireless: Todas as boas notícias trazem consigo uma correnteza: A sessão de 2004 da Escola de Jornalismo Autêntico do Narco News, que acontecerá de 30 de julho a 8 de agosto próximo em Cochabamba e na região boliviana do Chaparre tornou-se o evento mais esperado do jornalismo na nossa América.

A notícia dos dez dias de um encontro inédito de jornalistas autênticos na Península mexicana de Yucatán, em fevereiro de 2003, se espalhou pelo mundo. Os resultados podem ser vistos no Narco News e em outros projetos independentes, obra de alunos e professores que estiveram lá. Assim, veja quem virá este ano:

Rose Marie Acha, Bolívia
Sunny Angulo, EUA *
Jeremy Bigwood, EUA **
Ana Cernov, Brasil *
Alex Contreras Baspineiro, Bolívia *
Bill Conroy, EUA
Laura del Castillo Matamoros, Colômbia *
Andrea Daugirdas, EUA *
Blanca Eekhout Gómez, Venezuela *
Claudia Espinoza, Bolívia
Dan Feder, México **
Zabeth Flores, México *
Noah Friedsky, Bolívia *
Alvaro García Lineras, Bolívia
Al Giordano, América **
Luis Gómez, Bolívia **
Peter Gorman, EUA & Peru
Andrew Grice, EUA
Charlie Hardy, Venezuela **
Barrett Hawes, EUA *
Forrest Hylton, Bolívia
Ashley Kennedy, EUA *
Reed Lindsay, Argentina *
Walter Fanganiello Maierovitch, Brasil
Karine Mueller, Brasil *
Annie Nocenti, EUA **
Silvia Rivera Cusicanqui, Bolívia
Renato Rovai, Brasil **
David Rovics, EUA
George Sánchez, EUA *
Ron Smith, EUA
Andrew Stelzer, EUA *
Michele Stoddard, EUA **
Egberto Winston Chipana Limachi, Bolivia

* Estudantes da sessão de 2003 que retorno como Professor
** Professores da sessão de 2003 que retornam
O país denota a localização atual do professor.

(Esta lista está sujeita a emendas).

Os seguintes expositores foram convidados, mas ainda não confirmaram sua participação:

Carlos Mesa Gisbert, Presidente de Bolivia
Alfonso Ferrufino, Bolivia
Evo Morales, Diputado National, Bolivia
Oscar Olivera, Bolivia
Leonilda Zurita, Bolivia
David N. Greenlee, embaixador de EEUU, Bolivia
Constantino Rojas, Universidad Mayor de San Simón, Cochabamba, Bolivia
Marco Carrillo, Federacion de la Prensa de Cochabamba, Bolivia
Dennis Bernstein, EUA
Cynthia Cotts, EUA
Barry Crimmins, EUA
Carl Ginsburg, EUA
Tom Lesser, EUA
Mario Menéndez Rodríguez, México **
Evo Morales, Bolívia
Ethan Nadelmann, EUA **
Julia Reynolds, EUA
Gary Webb, EUA **

Além deles, muitos plantadores de folha de coca, líderes cocaleiros, jornalistas, fontes políticas e acadêmicas do Chaparre e de Cochabamba se juntarão a nós para entrevistas e palestras durante estes dez dias.

Mas a correnteza leva e traz: Simplesmente não há espaço suficiente para todos os professores altamente qualificados que querem participar. Muitos profissionais magníficos generosamente se voluntariaram para trabalhar conosco este ano, tantos que, não temos lugar para convidar todos.


Soraya Aguilar
A “J-School” será muito maior este ano. Ao menos 33 bolsas de estudos, e possivelmente mais, serão oferecidas. Os participantes serão convidados a partir de um processo de seleção (os formulários, com prazo de entrega para 1o de maio, estão disponíveis a partir de solicitação ao e-mail: solicitud@narconews.com.) Quatro dos bolsistas já fizeram parte ou foram convidados para sessões menores da Escola de Jornalismo em agosto, setembro e novembro do ano passado e estão sendo convidados a voltar. São eles: Sandra Alland do Canadá, Sarahy Flores do México, Annalena Oeffner da Alemanha e Lucian Read dos EUA….


Sarahy Flores
Além deles, Benjamin Melançon dos EUA e Soraya Aguilar da Bolívia garantiram o direito e receberam bolsas para a sessão deste ano, aumentando para 37 o número de estudantes.

E já escolhemos 46 professores – dos quais, 35 confirmaram sua presença – cujos talentos únicos, tão necessários para esta escola, são indispensáveis. Além deste “time inicial” listado abaixo, há outros que gostariam de participar e que, espero, façam parte da equipe em outros anos. Para o caso de que você não tenha feito as contas, aqui vão os números: teremos um grupo de 72 a 83 jornalistas autênticos se reunindo por dez dias.

Foi uma das tarefas mais difíceis, mais introspectivas, dos últimos tempos fazer escolhas dentro de uma longa lista de professores que se voluntariaram para este evento. Desculpo-me a todos os talentosos e valiosos jornalistas que se ofereceram para voluntariar na sessão deste ano, mas não pudemos arrumar mais espaço para incluir a todos. Recusei alguns amigos próximos que fizeram generosas ofertas, de modo que eu espero que ninguém leve para o lado pessoal minha escolha. A amizade verdadeira não aumenta ou diminui por causa de um único convite. Sempre haverão todas as festas de amanhã.

As necessidades específicas para a sessão deste ano guiaram a seleção dos professores, e em alguns casos jornalistas de carreira com grande talento e compromisso, que trazem consigo seu próprio público significativo, não foram escolhidos, para abrir espaço para outros jornalistas cujos talentos específicos poderão ser melhor aplicados na expansão do programa e nos workshops que estamos planejando para este ano online, no papel, em rádio, TV e jornalismo documental, e também no programa de treinamento para tradução a fim de desenvolver jornalistas bilíngues e trilíngues.

Ainda há a possibilidade de que possamos incluir alguns outros professores, caso haja a possibilidade de trazer mais estudantes. Isso será determinado pelo apoio continuado da sociedade civil ao Fundo para o Jornalismo Autêntico e especificamente direcionado à J-School.

Como você pode ver, a partir da lista inicial de professores convidados e confirmados, caro leitor, a J-School desse ano será maior e mais diversificada, com grande ênfase em jornalismo multimídia (rádio, TV e documentário) e equipada com estúdios de produção nesses campos, além da continuada ênfase no jornalismo escrito investigativo.

Nós, os “professores” (sempre nos sentimos aprendizes, aprendendo com nossos estudantes tão talentosos) acreditamos na importância desse programa (e nos divertimos muito levando-o adiante), tanto que geralmente pagamos nossas próprias despesas de viagem, acomodação e alimentação, pelo privilégio de participar da nova onda no renascimento do Jornalismo Autêntico. Todos os professores (veja seus perfis abaixo) merecem nosso agradecimento por se voluntariarem dez dias de suas vidas por ano, gratuitamente, para passarem sua experiência enquanto criamos um renascimento internacional, auto-reprodutivo e rápido do Jornalismo Autêntico.

Um dos grandes prazeres de escolher o rol de professores deste ano foi rever o trabalho dos 26 formandos da sessão de fevereiro de 2003 no México, e ser capaz de convidar 14 dos 26 para voltar neste ano… como professores, por conta do desenvolvimento de suas habilidades que são justo aquelas necessárias para o sucesso da sessão de 2004.

O envelope, por favor! Os seguintes professores foram convidados e confirmaram sua participação na sessão de 2004 da Escola de Jornalismo Autêntico.

Gloria Rose Marie Acha, em Cochabamba, Bolívia, é defensora dos Direitos Humanso e autora de vários livros. O mais recente é Huellas de Fuego: Crónica de un linchamiento (Acción Andina, 2003). Ela é especialista em situação das prisões, em estatutos legais sobre coca e legislação acerca de drogas e foi palestrante na Drug Legalization Summit, 2003, em Mérida, México.
Idioma: espanhol.


Sunny Angulo, em San Francisco e El Paso, Estados Unidos, é formanda da sessão 2003 da J-School, e retorna agora como professora. Ela produz e apresenta programas na San Francisco Liberation Radio (93.7 FM), e é membro do coletivo San Francisco Indymedia, e uma líder nata para homens e mulheres. É também co-fundadora da Enemy Combatant Radio, e já contribuiu para as estações Pacifica e NPR, Free Speech Radio News, StreetLevel TV, e em documentários como “We Interrupt this Empire.” Ela e outros colegas da San Francisco Liberation Radio estão atualmente processando o governo estadunidense pelo direito de utilizar as ondas de rádio.
Idioma: inglês.


Jeremy Bigwood, em Washington DC, Estados Unidos, retorna como chefe do departamento de fotojornalismo da J-School. Um veterano correspondente de guerra na América Central e Andes, ele é também o maior especialista em aplicar o direito à liberdade de imprensa nos Estados Unidos a fim de liberar para o público documentos de circulação restrita. Recentemente, fontes tão diversas como o Presidente venezuelano Hugo Chávez e o New York Times citaram a documentação de Bigwood sobre o apoio financeiro dos Estados Unidos aos grupos golpistas da Venezuela.
Idiomas: inglês e espanhol.


Ana Cernov, de São Paulo, Brasil, é formanda da sessão de 2003 e retorna agora como professora. Ela é assessora da Secretaria de Relações Internacionais da cidade de São Paulo, além de tradutora; é fluente em inglês, espanhol e sua língua nativa português, e especialista em questões ligadas a política de drogas e teoria política revolucionária.
Idiomas: português, inglês, e espanhol.


Alex Contreras Baspineiro, em Cochabamba, Bolívia, é formando de 2003, jornalista veterano da mídia escrita, TV e rádio, autor de 4 livros, biógrafo do líder cocaleiro e congressista boliviano Evo Morales, é agora o Chefe do Escritório da América do Sul do Narco News.
Idioma: espanhol.


Bill Conroy, em San Antonio, Estados Unidos, é um repórter investigativo veterano e editor, nos últimos 18 anos, de jornais em Wisconsin, Arizona, Minnesota e Texas. Seu trabalho investigativo nos últimos 5 anos é direcionado para corrupção e descriminação dentro das agências federais de cumprimento à lei. É autor do livro, Borderline Security, publicado pelo Narco News.
Idioma: inglês.


Laura del Castillo Matamoros, da Colômbia, é formanda de 2003 e retorna este ano como professora. Ela é correspondente especial do Narco News para o Plano Colômbia; ela combina jornalismo investigativo com uma das escritas mais poderosas do hemisfério. Leia sua inscrição para a Escola de Jornalismo Autêntico do ano passado.
Idioma: espanhol.


Andrea Daugirdas, em New York, Estados Unidos, formou-se em 2003, retornou como professora para a sessão de agosto de 2003 e volta agora como professora de produção de documentários. Ela produziu o documentário “Eu vivo no Bronx” e se casará em julho próximo com o também professor da sessão de agosto de 2003, Barrett Hawes. Eles passarão a lua-de-mel na J-School.
Idiomas: inglês, espanhol, e lituano.


Blanca Eekhout Gómez, em Caracas, Venezuela, é outra formanda de 2003 voltando como professora. Ela é coordenadora da Catia TV, uma das maiores estações de TV comunitária do hemisfério, e que serviu de modelo para a legislação para televisões r rádios sem licença na Venezuela, a primeira deste tipo no mundo. Foi uma das alunas mais respeitadas da sessão anterior da Escola de Jornalismo, destacando-se rapidamente como professora em temáticas como as batalhas por liberdade de imprensa que sua terra natal Venezuela vive e lidera no mundo atualmente.
Idioma: espanhol.


Claudia Espinoza, de La Paz, Bolívia, é uma das repórteres investigativas e de política do semanário boliviano Pulso, e especialista sobre a guerra às drogas imposta pelos Estados Unidos a seu país. Trabalhou para os jornais La Prensa e La Razón, além do independente Hora 25 e o coletivo Indymedia Bolivia. Também edita o boletim mensal para trabalhadores, Alerta Obrera. Durante o levante de setembro e outubro de 2003, ela noticiou corajosamente das trincheiras para que as pessoas pudessem saber o que ocorria de fato.
Idioma: espanhol.


Dan Feder, na Cidade do México, México, é o webmaster do Narco News que mais uma vez será professora. Ele é o designer de muitas páginas na Internet, incluindo BigLeftOutside, Salón Chingón, e o novíssimo Narcopshere. Ele também colaborou com o Narco News como tradutor e correspondente. Dan foi um estudante de jornalismo premiado e editor do Student Underground de Boston.
Idiomas: inglês e espanhol.


Zabeth Flores, na Cidade do México, México, é formanda de 2003, e retorna como professora. Ex-repórter do programa de notícias “Contenido Neto” do Canal 40, ex-tradutora para o El Universal, maior jornal do México. Zabeth é uma talentosa tradutora, fluente em espanhol e inglês, e passou 3 meses no Brasil no ano passado aprendendo português.
Idiomas: espanhol, inglês, e português.


Noah Friedsky, em La Paz, Bolívia, é formando de 2003 e retonra como professor. É jornalista freelancer e fotojornalista da Revista do New York Times e outras publicações. É fluente em espanhol e inglês e escreve sobre as guerras de coca e os movimentos sociais na Bolívia por vários anos.
Idiomas: inglês e espanhol.


Alvaro García Lineras, em La Paz, Bolívia, é um comentarista de TV em rede nacional, ex-preso político, autor, colunista e professor universitário. Foi palestrante na Drug Legalization Summit in Mérida, México em 2003. Seu trabalho inclui um livro sobre mineiração na Bolívia e várias coletâneas sobre movimentos sociais e insurgências neste país, tais como The Return of Plebian Bolivia e Times of Rebellion.
Idioma: espanhol.


Luis Gómez, em La Paz, Bolívia, foi o Chefe do Escritório Andino do Narco News (2001-2003), e mais uma vez será professor. É um experiente jornalista investigativo nascido na Cidade do México, e atualmente escreve um livro sobre a rebelião de outubro de 2003 na Bolívia.
Idiomas: espanhol, inglês, e português.


Peter Gorman, em Austin, Texas, Estados Unidos e Iquitos, Peru, é um repórter veterano da Amazônia e editor da High Times, além de ex-consultor do Museu de História Natural de New York, com mais de 15 anos de experiência cobrindo a Guerra às Drogas, tanto nacional quanto internacionalmente. É dono do Cold Beer and Blues Bar no rio Iquitos no Peru, parada favorita dos agentes da inteligência da DEA norte-americana que cospem informação e desinformação… Em 2002, quando os guerreiros anti-drogas do governo derrubaram um avião pequeno, matando um missionário cristão e seu filho, lançando uma controvérsia internacional, o avião caiu na frente do jardim de Peter.
Idiomas: inglês e espanhol.


Andrew Grice, em Madison Heights, Estados Unidos, é o tesoureiro do Fundo para o Jornalismo Autêntico, instrumental na campanha da sociedade civil que trouxe o Narco News de volta à vida este ano, que detém a marca de ter recolhido US$ 10.000 em 42 dias para apoiar o trabalho do Narco News e da J-School. Ele irá dividir suas experiências, da necessidade, sobre captação de recursos e financiamento do jornalismo autêntico sem que seja necessário se vender.
Idioma: inglês.


Charlie Hardy, em Caracas, Venezuela, foi professor na sessão de 2003 e voltou em setembro de 2003 na sessão feita no México. Ex-padre católico, hoje é colunista da Vheadline.com. Viveu por 14 anos em comunidades carentes de Caracas.
Idiomas: inglês e espanhol.


Barrett Hawes, em New York , Estados Unidos, produziu vídeos e documentários para MTV, VH1, Discovery Channel e muitas outras organizações de mídia importantes. Foi professor na sessão da J-School de agosto de 2003 no México, e se casará com a colega Andrea Daugirdas em julho próximo.
Idioma: inglês.

Forrest Hylton, em La Paz, Bolívia, escreve freqüentemente sobre Colômbia e Bolívia para Counterpunch, Znet, e Revista Left Turn. Também escreveu para New Left Review, Against the Current, Green Left Weekly, New Socialist, Rebelion.org, Desde Abajo, El Mundo Ciudadano, e Revista Pulso. Com Sinclair Thomson, co-editou Ya es otro tiempo el presente: Cuatro momentos de insurgencia indigena (La Paz, 2003), e escreveu An Evil Hour: The Colombian Crisis in Historical Context (London, 2004). É co-fundador do Comitê de Libertação de Pacho Cortés e do Comitê para Justiça Social na Colômbia. É candidato ao doutorado em história na Universidade de New York e atualmente conduz pesquisa na Bolívia sobre a participação das comunidades indígenas na Guerra Federal de 1899. Sua riqueza de conhecimento da história política e das lutas na região andina fazem dele uma excelente fonte e tutor para os estudantes aprendendo e escrevendo sobre os Andes.
Idiomas: inglês e espanhol.


Ashley Kennedy, em New Orleans, Estados Unidos, foi estudante em 2003 e retorna como professora. Escritora da Revista High Times, ela é uma repórter investigativa de primeira e uma escritora das mais criativas, capaz de aplicar seu senso de humor a questões sociais complexas tornando-as compreensíveis e interessantes ao grande público. Sua obra-prima de 2003, “The Superior Bush,” sobre a humilde folha de coca, está disponível no Narco News.
Idioma: inglês.


Reed Lindsay, em Buenos Aires, Argentina, é formando da sessão de 2003 e retorna este ano como professor. Seu trabalho na Argentina, Bolívia, Venezuela e Haiti, durante tempos de crise foi publicado intensamente pelo mundo incluindo, The Boston Globe, Newsday, The Washington Times, The Guardian de London, The Pittsburgh Post-Gazette, The Australian, Hi Pakistan, The Toronto Star, e The Baltimore Sun, entre outros; ele está rapidamente criando um parâmetro para os correspondentes de língua inglesa na América Latina.
Idiomas: espanhol e inglês.


Walter Fanganiello Maierovitch, em São Paulo, Brasil, foi o primeiro Czar Antidrogas do Brasil, e agora é editor e colunista do semanário de grande sucesso CartaCapital.
Idioma: português.


Karine Mueller, em Brasília, Brasil, é formanda da turma de 2003 e retorna como professora neste ano. Uma grande repórter e escritora, que cobriu o Congresso Nacional e escreveu extensivamente sobre a evolução das políticas de droga no Brasil.
Idiomas: português, espanhol e um pouco de inglês.


Annie Nocenti, em New York, Estados Unidos, foi professora em 2003 e retonra este ano. Editora da Revista High Times, ex-editora da Revista de roteiros, Scenario e editora da Prison Life, ela já entrevistou grandes diretores como Francis Ford Coppola, Roman Polanski, Mary Harron, Steven Soderberg, e Darren Aronofsky. Escreveu inúmeros quadrinhos e novelas para Marvel e D.C. Comics, incluindo Typhoid, Kid Eternity, Daredevil, Longshot, e Batman. Ela foi a editora de roteiros da série de leituras de The Fifth Night no Nuyorican Poets Cafe. Suas peças foram incluídas na 24-hour Play series e na Lincoln Center Out of Doors series.
Idioma: inglês.


Silvia Rivera Cusicanqui, em La Paz, Bolívia, é uma das maiores escritoras e especialistas em folha de coca, com grande experiência na região boliviana de Yungas. É autora de Oprimidos pero no vencidos (2003, Edicciones Aruwiri) e Las Fronteras de la Coca (2003, Edicciones Aruwiri) – que agora contém um vídeo e um formato de monografia – e professora visitante da Columbia University em New York, University of Texas in Austin, Universidad Andina Simón Bolívar no Equador, International University of Rábida na Espanha, e Universidades de Salta e Jujuy na Argentina. É ex- bolsista Guggenheim e uma das personalidades trilíngues mais interessantes da nossa América.
Idiomas: espanhol, inglês e aymara.


Renato Rovai
, em São Paulo, Brasil, foi professor na sessão de 2003 e retorna nesta função este ano. Jornalista investigativo veterano, editor da Revista de circulação nacional Forum, ele lançou a cobertura em português do Narco News em fevereiro de 2003.
Idiomas: português, espanhol, e aprendendo inglês.


David Rovics e seu violão, nas estradas dos Estados Unidos ou em qualquer lugar, é um cantor, escritor cujas letras são em si uma forma de jornalismo autêntico. Ele estará ao redor da piscina do campus e compondo novas músicas sobre novas histórias que nossos estudantes e professores fizerem sobre as terras produtoras de coca
Idiomas: inglês e música.


George Sánchez, formando da turma de 2003 retorna como professor. É um pocho de Los Angeles e repórter da equipe do Salinas Californian, que já escreveu para Mother Jones, The Nation, Punk Planet, e revista El Andar. Junto com Julie Reynolds, suas reportagens investigativas sobre gangues de Latinos no norte da Califórnia foram publicadas no San Francisco Chronicle, La Jornada, e The Oakland Tribune.
Idiomas: inglês e Spanglish.

Ron Smith, em Eugene, Estados Unidos, é um documentarista independente que realizou crônicas sobre os movimentos populares por justiça social e os impactos humanos da ajuda militar dos Estados Unidos pela América. Fez reportagens para a Pacifica Network News além de diversos jornais alternativos. Ron participou da cobertura da Venezuela e Equador para o Narco News e atualmente trabalha em um documentário sobre a intervenção estadunidense no Plano Colômbia. Seu primeiro filme, sobre resistência a globalização em El Salvador, Resistance as Democracy, foi exibido em diversos festivais pelo mundo e traduzido em 4 idiomas.
Idiomas: inglês e espanhol.


Andrew Stelzer, é formando de 2003 e retorna este ano como professor. Repórter e produtor da estação de rádio comunitária WMNF em Tampa, Flórida, foi produtor e repórter para a rádio comunitária KBOO em Portland, Oregon, onde ele também era responsável por treinar adolescentes para realizar reportagens e produzir rádio. Andrew regularmente faz reportagens para a Free Speech Radio News e para a Independent Native News, e aparece em programas de alcance nacional como Making Contact, Workers Independent News Service, PeaceWatch da Pacifica Radio, e Sprouts. Premiado com o prêmio “Society of Professional Journalists’ Excellence in Journalism”, ele também gerencia um abrigo para sem-teto, trabalha com crianças e joga basquete sempre que encontra um bom jogo.
Idioma: inglês.


Michele Stoddard, em New York, Estados Unidos, foi professora em 2003 e retorna ao posto este ano. Ex-editora do Covert Action Quarterly, ela agora é membro do conselho e secretária do Fundo para o Jornalismo Autêntico. Ela tem o diferencial de ser o indivíduo que, nos anos 80, convenceu o presidente da escola que ele deveria começar a ler e entender teoria crítica.
Idiomas: inglês, espanhol, e português.


Egberto Winston Chipana Limachi, em Chichipiri, Bolívia, é diretor da Radio Soberanía, a estação de rádio mais ouvida na região de plantio de coca do Chaparre, que deve se expandir para uma estação de TV também.
Idiomas: espanhol e quechua.

Os seguintes expositores foram convidados, mas não confirmaram sua participação até o presente:

Presidente Carlos Mesa Gisbert, Bolivia, Alfonso Ferrufino, Ministerio de Gobierno, Bolivia, Evo Morales, diputado nacional, Bolivia, Oscar Oliveira, dirigente social, Bolivia, Leonilda Zurita, dirigente sindical, Bolivia, David N. Greenlee, embajador de EEUU, Bolivia, Constantino Rojas, Universidad Mayor de San Simón, Bolivia, Marco Carrillo, Federación de la Prensa de Cochabamba, Bolivia, Dennis Bernstein, San Francisco, Estados Unidos, apresentador da Flashpoints RadioCynthia Cotts, Estados Unidos, crítica da mídia e colunista do “Press Clips” para The Village VoiceBarry Crimmins, Estados Unidos, humorista político e comentarista para Air America, a nova rede de rádio que estréia no dia 31 de março – Carl Ginsberg, New York, Estados Unidos, diretor de programação da Air America, ex-produtor de telejornais em rede nacional – Tom Lesser, Northampton, Estados Unidos, advogado defensor da liberdade de expressão, professor da sessão de 2003 professor convidado a voltar – Mario Menéndez Rodríguez, editor do diário Por Esto!, Mérida, México, professor em 2003 convidado a voltar – Evo Morales, Bolívia, congressista e líder histórico do movimento cocaleiro – Ethan Nadelmann, New York, Estados Unidos, criminologista e um dos maiores especialistas em política de drogas, professor em 2003 convidado a voltar – Julia Reynolds, Califórnia, Estados Unidos, repórter investigativa, Revista El AndarGary Webb, Estados Unidos, autor da série “Dark Alliance”, professor em 2003 professor, convidado a retornar à J-School.

Esta é escalação inicial para a sessão de 2004 da Escola de Jornalismo Autêntico do Narco News, que acontecerá de 30 de julho a 8 de agosto em Cochabamba e na região boliviana de plantio de coca do Chaparre. No meio de maio serão divulgados os nomes dos alunos selecionados para trabalhar com essa equipe nos dez dias de julho e agosto.
Para receber o formulário de solicitação para esta bolsa de estudos em Jornalismo Autêntico, envie um e-mail para: solicitud@narconews.com.

Share |

Read this article in English
Lea Ud. el Artículo en Español

Discussion of this article from The Narcosphere


Enter the NarcoSphere for comments on this article

For more Narco News, click here.

The Narco News Bulletin: Reporting on the Drug War and Democracy from Latin America