<i>"The Name of Our Country is América" - Simon Bolivar</i> The Narco News Bulletin<br><small>Reporting on the War on Drugs and Democracy from Latin America
 English | Español | Português | Italiano | Français | Deutsch | Nederlands July 23, 2014 | Issue #40


Making Cable News
Obsolete Since 2010


Troca Cores: blackwhiteabout colors

Imprima

Busca no Narco News

Narco News Issue #39
Complete Archives

Narco News is supported by The Fund for Authentic Journalism


Follow Narco_News on Twitter

Sign up for free email alerts list: English

Lista de alertas gratis:
Español


Contact:

Publisher:
Al Giordano


Opening Statement, April 18, 2000
¡Bienvenidos en Español!
Bem Vindos em Português!

Editorial Policy and Disclosures

Narco News is supported by:
The Fund for Authentic Journalism

Site Design: Dan Feder

All contents, unless otherwise noted, © 2000-2011 Al Giordano

The trademarks "Narco News," "The Narco News Bulletin," "School of Authentic Journalism," "Narco News TV" and NNTV © 2000-2011 Al Giordano

XML RSS 1.0

A “Outra Campanha” está sendo difundida em Oaxaca

O maior estado indígena do México receberá o Subcomandante Marcos em breve


Por James Daria, RJ Maccani, Daniela Lima e Dul Santamaria
A Brigada Ricardo Flores Magón para Narco News

31 de janeiro 2006

Nós somos a Brigada Ricardo Flores Magón, responsáveis pela cobertura dos primeiros passos da “Outra Campanha” aqui no estado de Oaxaca. Estamos representados pelos países: Mexico, EUA, Brasil e França, portanto os artigos escritos pela Brigada RFM estarão disponíveis em quatro diferentes idiomas.


Ricardo Flores Magón, 1874-1922
A escolha pelo nome Ricardo Flores Magón está relacionado a memória deste jornalista oaxaquenho e revolucionário, que se tornou o principal ideólogo da Revolucão Mexicana. Através de publicações como “Regeneracion” e outros jornais, Magón pôs em prática um jornalismo de combate que atacou o repressivo regime de Portifirio Diaz, e protagonizou a luta pela terra e liberdade.

Exilado nos EUA pelo regime de Portifirio, Magón liderou a luta revolucionária a nivel nacional e internacional, que buscou a construção desde a base de uma sociedade sem classes e sem estado. Nascido na comunidade de San Antonio Eloxochitlan em 1873, Magón morreu sob suspeita em 1922 na Prisão de Leavenworth em Kansas nos EUA. Sua crítica radical à politica eleitoral tem muito em comum com a Sexta Declaração da Selva Lacandona e com a “Outra Campanha” que está sendo difundida e construída no México atualmente.

Estamos documentando diretamente da cidade de Oaxaca (Região dos Valles Centrales) a emergência da “Outra Campanha”, através da participação nas assembleias regionais e estatais para a chegada do Delegado Zero e da Sexta Comissão.

Oaxaca é o um dos estados mais pobre do México e conta com o maior número de grupos étnicos e linguas indigenas no país. Etnicidade, terra, educação e repressão são os principais aspectos que caracterizam a luta oaxaquenha. Os Zapatistas, assim como o Ricardo Flores Magón e outras figuras revolucionárias têm sido as principais referências para povos, organizações e indivíduos que lutam para criar uma nova ordem social.

Os movimentos sociais de Oaxaca vêm criando diversas formas de lutas sociais e será nossa tarefa relatar para vocês leitores como essas formas de organizações culturais, politicas e sociais vêm contribuindo para a difusão da “ Outra Campanha”.

Portanto é no espírito da Sexta Declaração da Selva Lacandona que as assembleias vêm sendo assistidas e organizadas por homens e mulheres, jovens e anciãos, representantes indigenas, campesinos, organizações de trabalhadores, comunistas, socialistas, coletivos anarquistas, associações de bairros, associaçõo de mulheres, movimento estudantil, mídia independente, estações de rádios comunitárias, grupos de homossexuais, assim como indivíduos não vinculados a qualquer organização, no intuito de difundir e construir o que todos chamam de “ La Otra”. Esta, no entanto é uma tarefa bastante árdua, visto que estamos lidando com pessoas com perspectives variadas e até mesmo com organizações rivais que vêm trabalhando juntas para recepção do Delegado Zero e da Sexta Comissão EZLN que estarão no estado de 5 a 10 de fevereiro.

Devido a diversidade de organizações participantes nas assembléias, fora elaborada alguns acordos básicos, a saber:

  • A Sexta Declaração de Selva Lacandona é o guia para o trabalho de todos.

  • Todas as organizações grandes ou pequenas e todos os indivíduos formam juntos a coordenação geral da “ Outra Campanha” em Oaxaca.

  • O Delegado Zero e a Sexta Comissão só podem estar hospedados em lugares onde há garantia de segurança e organização.

  • Todos organizarão este trabalho antes, durante e depois da chegada da Delegação EZLN de maneira solidária.

As assembleias vêm sendo realizadas à nivel regional e estatal na cidade de Oaxaca, especificamente na Sessão 22, local representado pela união dos professores com mais de 70 mil associados.

As assembleias regionais dos Valles Centrales conta com a participação de cerca de 60 a 70 organizadores, e a 1a assembleia estatal teve a presença de mais de 90 organizadores. Mesmo com alguns acordos pré-estabelecidos o trabalho de construção da “Outra Campanha” não é uma tarefa fácil, como pôde ser presenciado na última assembleia que durou mais de 5 horas.

Segue abaixo a trajetória do Delegado Zero e da Sexta Comissão cuja programação foi acordada na 1a assembleia estatal em Oaxaca.

4 de fevereiro – saída do Delegação EZLN de Veracruz para Oaxaca.

5 de fevereiro – Tuxtepec (Região Cuenca del Papaloapan)

6 e 7 de fevereiro – Istmo de Tehuantepec

8 de fevereiro – Sierra Madre

9 e 10 de fevereiro – Valles Centrales

11 de fevereiro – Saída da Delegação de Oaxaca para Puebla

A programação que deixa à parte três das sete principais regiões de Oaxaca (Costa, Mixteca, e Cañada) foi acordada com certa dificuldade, já que a escolha dos locais foi baseada no critério de que tais regiões estavam mais representadas nas assembleias estatais com suficientes organizações capazes de garantir a segurança da Delegação EZLN.

O tópico relacionado à segurança é uma das principais preocupações dos responsáveis pela recepção da Sexta Delegação, uma vez que Oaxaca é considerado um dos estados mais repressivos do país.

Apesar do fracasso nas eleicções federais de 2005, o Partido Revolucionario Institucional ainda mantém as regras em Oaxaca. O candidato Ulisses Ruiz foi imposto como governador, através de acusações de fraude eleitoral, contando com menos de 20% do eleitorado a seu favor. Este mesmo governador manteve em 2005 mais de 50 presos políticos devido ao seu autoritarismo que não permite que organizações e indivíduos levantem suas vozes contra o repressivo regime governamental de Oaxaca.

Sem consulta e contra as regras constitucionais, Ruiz removeu a base do poder Executivo da capital, proibindo assim demonstrações e protestos no Zócalo (centro da cidade) por ser este local palco de importantes manifestações na cidade.

Pelos motivos supracitados, a Brigada RFM tem o prazer de trazê-los as primeiras notícias sobre a chegada dos Zapatistas na cidade de Oaxaca dia 9 de fevereiro. Aqueles que estão construindo “La Otra Campaña” retomarão o Zócalo e abrirão o estágio dos “simples e humildes que lutam” aqui em Oaxaca para serem escutados.

Fiquem conectados, pois estaremos trazendo novas notícias para vocês!

Share |

Read this article in English
Lea Ud. el Artículo en Español
Lesen Sie diesen Artikel auf Deutsch
Lisez cet article en français
Legga questo articolo in italiano

Discussion of this article from The Narcosphere


Enter the NarcoSphere for comments on this article

For more Narco News, click here.

The Narco News Bulletin: Reporting on the Drug War and Democracy from Latin America