<i>"The Name of Our Country is América" - Simon Bolivar</i> The Narco News Bulletin<br><small>Reporting on the War on Drugs and Democracy from Latin America
 English | Español | Português | Italiano | Français | Deutsch | Nederlands December 13, 2017 | Issue #29


Making Cable News
Obsolete Since 2010


Troca Cores: blackwhiteabout colors

Imprima

Busca no Narco News

Narco News Issue #28
Complete Archives

Narco News is supported by The Fund for Authentic Journalism


Follow Narco_News on Twitter

Sign up for free email alerts list: English

Lista de alertas gratis:
Español


Contact:

Publisher:
Al Giordano


Opening Statement, April 18, 2000
¡Bienvenidos en Español!
Bem Vindos em Português!

Editorial Policy and Disclosures

Narco News is supported by:
The Fund for Authentic Journalism

Site Design: Dan Feder

All contents, unless otherwise noted, © 2000-2011 Al Giordano

The trademarks "Narco News," "The Narco News Bulletin," "School of Authentic Journalism," "Narco News TV" and NNTV © 2000-2011 Al Giordano

XML RSS 1.0

Uma grande pátria latinoamericana

O líder Cocaleiro Evo Morales na Venezuela


Por Alex Contreras Baspineiro
Boliviano do Jornalismo Autêntico

16 de abril 2002

“Devemos seguir sonhando ara liberar e contruir uma grande pátria na América Latina”.

-Evo Morales, deputado e líder Cocaleiro

Caracas 11 de abril de 2003: Os líderes indígenas e campesinos do continente americano, que participaram no Primeiro Encontro de Solidariedade com Revolução Bolivariana, em Caracas (Venezuela), sugeriram como alternativa ao poder unipolar dos Estados Unidos a construção de uma grande pátria Latino Americana.

“Devemos seguir sonhando para liberar e construir uma grande pátria Latino Americana. Essa é a única opção que temos os pobres diante do imperialismo selvagem e assassino”, afirmou o deputado e líder cocaleiro boliviano Evo Morales. Ao repudiar a agressão imperialista contra o povo venezuelano, disse que esse tipo de eventos deve acontecer periodicamente e em países que atravessam problemas conjunturais, para unir os movimentos sociais e políticos do continente e não permitir que continuam nos considerando “o quintal do imperialismo estadunidense”.

“Não vejo outra maneira, porque hoje vemos a arrogância da família Bush em invadir e praticar políticas genocidas no Iraq. Hoje estamos vendo um capitalismo inumano e selvagem que quer seguir dominando o mundo inteiro”, disse Evo Morales.

Muitas Cubas

Evo recorda que há sete anos disse a um jornalista que presumia que no continente se poderia construir muitas Cubas. “Que dirigente louco, ele não sabe o que diz,” a imprensa respondeu. Com sua cabeça erguida, Evo disse que agora existem dois governos revolucionários nesta terra chamada América: Cuba e Venezuela. O Brasil e outros países seguem o mesmo caminho.

O dirigente da Via Campesina de Honduras, Rafael Alegría, disse que “sim o neoliberalismo é um sistema global, e se deve globalizar as lutas dos povos latinoamericanos.” Ele enfatizou que na América Latina novos movimentos sociais de mudança se irradiam em beneficio das maiorias nacionais.

Povo em marcha

O líder do movimento de trabalhadores (MST), Jaime Amorín, disse que os latinos americanos “somos um povo em marcha.” Um novo modelo livre do trasngênicos, livre da Área Livre de Comércio das Américas (ALCA), livre de Organizações não Governamentais (ONGs). “Sabemos o que queremos e onde queremos chegar” Construir a pátria Latino Americana, livre dos yankis e livre da ALCA”, ressaltou o líder dos Sem Terra.

Estes três líderes agrários foram os expositores na oficina intitulada de “Soberania e Segurança Alimentícia” no teatro de Caracas Teresa Carreño, nesse encontro em que não somente se protegeu, mas também se defende a verdadeira democracia em nossa América.

Share |

Read this article in English
Lea Ud. el Artículo en Español

Discussion of this article from The Narcosphere


For more Narco News, click here.

The Narco News Bulletin: Reporting on the Drug War and Democracy from Latin America